Transformações causadas pela pandemia

Com o apoio da Atricon e do CNPTC, o Instituto Rui Barbosa (IRB) em parceria com os Tribunais de Contas do Estados de Alagoas e do Rio Grande do Sul, acontece nestes dias 8 2 9 de outubro o X Encontro Técnico e I Encontro Virtual de Gestão de Pessoas dos Tribunais de Contas do Brasil.  O evento virtual discute os reflexos da pandemia na área de Gestão de Pessoas das Instituições Públicas.

O conselheiro Estilac Xavier, presidente do TCE-RS, presidiu a mesa de abertura da atividade, e acolheu os participantes, também, como representante do presidente do IRB, conselheiro Ivan Bonilha. Os presidentes Fábio Nogueira (Atricon), Joaquim de Castro (CNPTC) e Otávio Lessa (TCE-AL), participaram.

Em sua manifestação de boas-vindas, Estilac Xavier ressaltou a importância do aprimoramento e qualificação dos conhecimentos técnicos, especialmente na área de gestão de pessoas, diante dos desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus. “Normalmente, as pessoas falam em ‘máquina pública’ referindo-se ao Estado e aos seus servidores. É preciso mudar a mentalidade, pois, na verdade, o coração do serviço público são as pessoas. A pandemia nos ensinou, a partir da dureza e da tristeza que nos impôs, que precisamos nos recriar. Este encontro pretende oportunizar uma troca de aprendizados, respeitando nossas diferentes culturas e individualidades, mas, acima de tudo, respeitando o nosso sentido humano”, disse.

O presidente Fábio Nogueira realçou essa compreensão apontando o exemplo do processo de aprimoramento dos Tribunais de Contas “em que pessoas (membros e equipes técnicas dos TCs) se encorajam e se empenham em produzir mecanismos, que possam refletir numa gestão pública mais efetiva e interessante aos interesses da cidadania”.

De acordo com o presidente da Atricon, as instituições públicas – assim como ocorreu com as mais diversas atividades – tiveram que se reinventar nesse período em toda a rotina foi alterada, situação em que a gestão de pessoas se mostrou, ainda mais, fundamental. Fábio Nogueira lembrou que nem a pandemia, com a consequente necessidade de isolamento social e de adoção do home office, as desencorajou.

Palestra magna – intitulada “Amor ao trabalho”, foi ministrada pelo escritor e psicólogo clínico Rossandro Klinjey, sob a mediação da coordenadora da Rede de Gestão de Pessoas dos Tribunais de Contas do IRB, Adriana do Rocio Loro. O palestrante falou sobre o fato de a experiência no setor público ser mal vista no país, e sobre o impacto da mudança individual no coletivo. “Precisamos construir uma sociedade com sentimento de compromisso. Temos que aprender e assumir a nossa cota de compromisso pessoal, pois nenhuma sociedade se transforma no todo. É preciso os indivíduos se transformarem individualmente para, então, transformarmos o coletivo. Nossa experiência moral não pode ser, apenas, da boca pra fora”, resumiu.

Público – Direcionado a servidores da área de gestão de pessoas de órgãos públicos das esferas municipais, estaduais e da União e público geral, o evento propõe a discussão de temas que permeiam a inovação, o teletrabalho, os impactos e desafios com a pandemia, além do compartilhamento das melhores práticas de gestão de pessoas nos Tribunais.

Na sequência dos debates, a coordenadora do Instituto Rui Barbosa, Crislayne Maria Lima Amaral de Moraes destacou a importância do trabalho da Gestão de Pessoas do IRB em conjunto com os Tribunais de Contas, sobretudo a parceria com os TCs do Rio Grande do Sul, Paraná e Alagoas. Para ela, com a pandemia, um dos principais temas a ser tratado foi como construir soluções e ações nesse momento ímpar.

Crislayne salientou a importância de experiências como o Quadro Nacional de Competência de Gestão de Pessoas e a Avaliação por Competências de Auditorias. “Somos pioneiros em trabalhar em rede. O TCU já tem um grupo de trabalho para debater competências profissionais de auditores. É o crowdsourcing funcionando. Imaginem o quanto economizamos para o Erário. Damos grandes passos para o trabalho em rede”, concluiu.

MMD-TC – o auditor fiscal de contas públicas do Tribunal de Contas de Pernambuco Rômulo Lins abordou os resultados e a evolução do Marco de Medição de Desempenho dos Tribunais de Contas (MMD-TC). Ele explicou o funcionamento do instrumento de medição, que é aplicado bianualmente e revisado anualmente pela Atricon, com base em um questionário com 25 indicadores, subdividido em 79 dimensões e 499 critérios de avalição. Ao final, abordou alguns caminhos para a evolução de questões de liderança e competência, presentes no MMD-TC.

Na sequência, foi realizada uma roda de conversa sobre apoio emocional pós pandemia, com as convidadas Suzzana Bernardes, médica psiquiatra do Tribunal de Contas de Alagoas e Cristina Amarilho, psicóloga e assessora de Pericias Médicas do TCE-RS. Para Suzzana, a pandemia trouxe diversas situações, como a mudança de rotina, o estresse, o medo do contágio e inúmeras outras reações que podem afetar as pessoas por muitos anos. Cristina Amarilho enumerou as formas encontradas pelo TCE-RS para a contenção da Covid-19, como a formação de um comitê e o acompanhamento semanal evolução do quadro epidemiológico nos demais Tribunais.

Encerrando o primeiro dia do Encontro, as servidoras do TCE-MG Neigmárcia Maria de Oliveira e Mirtes Conrado Dias de Oliveira falaram sobre Consultoria Interna de Gestão de Pessoas. Trazendo a experiência do Tribunal mineiro, elas relataram como foi constituída a consultoria interna durante a pandemia, com o objetivo de auxiliar os gestores e suas equipes na adaptação ao teletrabalho e aos novos desafios impostos pelo distanciamento social.

O X Encontro Técnico e I Encontro Virtual de Gestão de Pessoas dos Tribunais de Contas do Brasil tem transmissão ao vivo pelo Canal do TCE-RS no YouTube.

Confira aqui a programação completa.

Ascom Atricon, com informações da Assessoria de Comunicação Social do TCE-RS

 

Compartilhe!